sexta-feira, 10 de abril de 2015

Sobre o Odeon

Fechado desde junho de 2014, o Cine Odeon é um dos mais belos e antigos cinemas que sobreviveram no Rio de Janeiro. Aberto em 1926, era a única sala da Cinelândia que continuava funcionando com sua função original. Com o fim do contrato de locação do Grupo Estação com o Grupo Severiano Ribeiro, proprietário da sala, o cinema fechou e houve muitos rumores sobre possíveis destinos para a construção histórica. 
Houve grande mobilização de grupos e associações, solicitando, inclusive, o tombamento pelo Instituto Estadual de Patrimônio Artístico e Cultural do Estado do Rio de Janeiro, o INEPAC, como forma de proteger o Odeon de uma possível descaracterização ou destruição. Foram feitos abaixo-assinados (chegando a mais de 1.600 assinaturas) e projetos de lei. Nesse meio tempo, no início de 2015, o Grupo Severiano Ribeiro anunciou a reabertura do espaço como Centro Cultural, mas sem dar detalhes sobre financiamento, prazo ou formato da iniciativa.
A preocupação com o destino do Odeon também permeou um grupo de trabalho vinculado à Secretaria de Cultura do Governo do Estado. Por meio desse grupo, recebi a notícia que o INEPAC, apesar de compartilhar a preocupação com o espaço, não acatou o pedido, "por acreditar que a situação de tombamento na qual o espaço se encontra atualmente atende as demandas levantadas".
A mensagem que recebi continua: "Conforme colocado na resposta, tanto o imóvel em questão quanto o seu uso cultural já se encontram protegidos por legislação específica do município do RJ. Pelo fato de o Odeon estar inserido numa APAC, Área de Proteção do Ambiente Cultural (legislação municipal), e por ter sido retomado um projeto de ocupação cultural desse espaço pelo Grupo Severiano Ribeiro, o instituto não considerou como prioridade esta ação. Eles lembraram também que o tombamento estadual não teria o mesmo alcance, à medida que a legislação referente ao mesmo, apesar de ratificar o reconhecimento do valor cultural do espaço, não impossibilita a alteração de uso dos imóveis protegidos."
Espero ter tanta confiança quanto o INEPAC que o Odeon não corre tanto risco mesmo. Vamos ver...

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Apresentações da Conferência da AMIA 2014

Nesse link você pode baixar as apresentações de slides de algumas das conferências proferidas no Encontro da AMIA (Association of Moving Image Archivists) de 2014.
Ótima oportunidade para se inteirar das mais recentes discussões no campo da preservação audiovisual.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Cinemateca Brasileira promove oficinas técnicas



CINEMATECA BRASILEIRA PROMOVE OFICINAS TÉCNICAS
Oficinas serão gratuitas e abertas para profissionais do audiovisual e estudantes
A partir de dezembro de 2014, serão realizadas na Cinemateca Brasileira três oficinas voltadas à formação técnica de profissionais nas áreas de Preservação, Restauração, Catalogação e Documentação. Cada oficina terá carga horária de 30 horas e oferecerá 20 vagas para estudantes universitários, profissionais de instituições vinculadas à Associação Brasileira de Preservação Audiovisual (ABPA) e à Reunião Especializada de Autoridades Cinematográficas e Audiovisuais do Mercosul (RECAM), e técnicos de outras instituições afins.
A iniciativa integra o Termo de Cooperação firmado entre o Ministério da Cultura (MinC), a Secretaria do Audiovisual (SAv), a Cinemateca Brasileira e a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). A formação técnica continuada é uma das premissas da Cinemateca, não somente no tocante à promoção do conhecimento, mas também à ampliação da oferta de profissionais especializados para o atendimento das demandas relacionadas à preservação e difusão de acervos audiovisuais.

OFICINA DE RESTAURAÇÃO AUDIOVISUAL – INSCRIÇÃO SERÃO RECEBIDAS ATÉ O DIA 21/11/2014.
08 a 12 de dezembro de 2014 / 30 horas
Palestrante: João Sócrates de Oliveira, restaurador de larga experiência e reconhecimento internacional, atua na área da restauração audiovisual desde os anos de 1970.
Compreendendo a restauração como um braço fundamental da conservação de um acervo audiovisual, a oficina pretende oferecer noções gerais da restauração fotoquímica e digital.
Serão abordados os critérios de escolha das matrizes para restauração, os processos básicos de restauração fotoquímica correlacionados com as formas de deterioração e os resultados possíveis nos procedimentos laboratoriais cinematográficos. Da mesma forma, serão discutidos os fundamentos da restauração digital, suas potencialidades e limitações, buscando mostrar a sua complementaridade com a restauração fotoquímica.

OFICINA DE PRESERVAÇÃO AUDIOVISUAL
12 a 16 de janeiro de 2015 / 30 horas
Palestrante: Hernani Heffner, Professor e Conservador da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, e Maria Fernanda Curado Coelho, Coordenadora do Setor de Preservação de Filmes da Cinemateca Brasileira
Por meio de aulas teóricas e práticas, o objetivo da oficina é apresentar e discutir os conceitos e procedimentos básicos da conservação de materiais fílmicos e videográficos. Nas aulas teóricas, serão abordados os conceitos filosóficos gerais da arquivística audiovisual, como a missão institucional de um arquivo de filmes e os princípios éticos que regem o trabalho na área. Nas atividades práticas, os alunos terão a oportunidade de manusear materiais do acervo, exercitar os procedimentos de conservação preventiva e tomar conhecimento sobre as ações de conservação corretiva.
A somatória dessas atividades permitirá aos participantes entender o papel da conservação de filmes dentro de um Sistema de Preservação Audiovisual que assegure a permanência dos acervos e o acesso seguro a seus conteúdos.



OFICINA DE CATALOGAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO
02 a 06 de fevereiro de 2015 / 30 horas
Palestrante: Gabriela Sousa de Queiroz, Coordenadora do Centro de Documentação e Pesquisa da Cinemateca Brasileira e Fábio Kawano, Coordenador do Setor de Catalogação de Filmes da Cinemateca Brasileira
Estruturada em dois grandes módulos, Catalogação e Documentação, a oficina abordará os procedimentos relativos ao tratamento da informação em um arquivo de filmes.
A catalogação audiovisual consiste na descrição do conteúdo das obras (levantamento de informações visuais e sonoras, que são organizadas em um índice de assuntos para posterior recuperação) e no gerenciamento de um sistema de informações que leva em consideração os padrões internacionais de normatização.
No que concerne à Documentação, serão apresentados e discutidos os principais fundamentos da organização e difusão de acervos documentais e das atividades voltadas à filmografia brasileira, que complementam a catalogação audiovisual.
Ao final da oficina, os participantes terão compreensão dos modelos de catalogação e descrição de acervos, das estruturas de bancos de dados, bem como das atividades de pesquisa inerentes ao trabalho da instituição.

INSCRIÇÕES:
Os interessados em participar das oficinas devem se escrever para fernanda.coelho@cinemateca.org.br e yara.iguchi@cinemateca.org.br com as seguintes informações:
1. Nome completo
2. e-mail e telefone para contato
3. Mini currículo com no máximo 300 (trezentos) toques
4. Carta de intenções com no máximo 1.000 (mil) toques

A Cinemateca Brasileira fará a seleção e entrará em contato diretamente com os candidatos selecionados.